Sabedoria Financeira II

Sabedoria Financeira II

A revista IstoÉ de 16 de março de 2005 apresenta matéria sobre finanças pessoais, onde faz a seguinte declaração: “Poucas vezes a classe média sofreu tanto com os desequilíbrios de orçamento”. Por isso pergunto: Por qual razão, nesta época denominada “era da informação”, tantas pessoas estão sucumbindo quando o assunto é dinheiro?

Em minha opinião, é porque lhes falta sabedoria financeira. O profeta Oséias escreveu [palavras de Deus]: “Meu povo é destruído porque não me conhece …” (Oséias 4:6a).

Gastar com Sabedoria

Muitas pessoas acreditam que quando conseguirem ganhar um salário alto estarão com todos os seus problemas resolvidos, mas percebam o que diz Salomão sobre este assunto: “Quanto mais se tem, mais se gasta, a ponto de não sobrar quase nada. Qual é, então, a vantagem da riqueza – a não ser ver o dinheiro fugir rapidamente de nossas mãos?” (Eclesiastes 5.11).

Salomão, em sua sabedoria está relatando aqui um fenômeno extremamente comum em qualquer época: à medida que nossa renda aumenta, nossos gastos facilmente a acompanham e até mesmo a ultrapassam. Por esta razão, é importante que, independentemente de qual seja nossa renda, sejamos fiéis na administração financeira.

Sabedoria para Dar

Devido aos gastos exagerados, temos dificuldade de colocar em prática este importante princípio de sabedoria financeira: dar. “Quem reparte generosamente seus bens com outras pessoas se tornará cada vez mais rico; quem procura segurar mais dinheiro do que necessita acabará perdendo tudo” (Provérbios 11.24).

Segundo Salomão, fica claro que o dar está contemplado como um dos propósitos fundamentais para uma vida financeira bem-sucedida. Conforme suas palavras, se falharmos no exercício deste princípio, estaremos arriscando a perder até mesmo aquilo que Deus já colocou sob nossa administração. Há muitas oportunidades de exercermos esta coisa tão boa que é suprir as necessidades de outras pessoas através dos recursos que estão sob nossos cuidados.

“Sim, a pessoa generosa terá sempre mais e mais; ela receberá de volta todo o bem que fez a outros” (Provérbios 11.25).

Sabedoria para Economizar

“O homem de bom senso economiza e tem sempre bastante comida e dinheiro em sua casa; o tolo gasta todo o seu dinheiro assim que o recebe” (Provérbios 21.20).

“Se sobrar, coloco na poupança” é uma expressão bastante conhecida e que reflete a atitude das pessoas que não priorizam este princípio importante de sabedoria financeira. E o que acontece quando não existem reservas? O carro enguiça, o micro-ondas para de funcionar, a quem recorremos? Aos empréstimos das instituições financeiras que, principalmente no Brasil, cobram juros estratosféricos, e que solapam ainda mais nossa débil economia pessoal e familiar.

“Preguiçoso, observa bem as formigas e aprenda uma profunda lição com elas. Elas não têm reis ou governadores para dar ordens e, no entanto, trabalham durante o verão, ajuntando comida para o inverno” (Provérbios 6.6-8).

Onde Encontro Sabedoria Financeira?

Há muitas fontes de informação para se tomar decisões financeiras. Uma, porém, é superior: a Bíblia. Embora conhecida mais por seus valores espirituais, a Bíblia contempla princípios seguros para a gestão do dinheiro em seus mais diversos aspectos. Procure conhecê-los e colocá-los em prática. Certamente experimentará uma vida financeira bem-sucedida.

“O homem que encontra a sabedoria e descobre a verdade é um homem feliz! A sabedoria produz muito mais benefícios do que o ouro ou a prata mais finos. Ela vale mais do que pedras preciosas; não existe nada neste mundo que valha tanto quanto ela. Veja o que ela oferece ao homem! Uma vida longa e tranquila, riquezas e honras” (Provérbios 3.13-16).

Autor: Paulo de Tarso – Idealizador do ministério Finanças Para a Vida.